Arquivo

Archive for janeiro \28\UTC 2010

Novas Oportunidades

28 de janeiro de 2010 4 comentários

Hoje vou falar de um assunto diferente aqui no blog.

Sou Graduado em Tecnologia em Gestão Ambiental pelo Centro Universitário SENAC (2003) e Pós-Graduado (Especialização) em Gestão de Efluentes Líquidos Industriais pelo Centro Superior de Educação Tecnológica da UNICAMP (2005).

Realizei estágios no Instituto de Geociências da UNICAMP e no Laboratório de Geotecnologias e Métodos Quantitativos da EMBRAPA Meio Ambiente de Jaguariúna. Sou um dos sócios fundadores da empresa Pleno Ambiente Consultoria e Projetos Ambientais, sediada no município de Campinas/SP. Possuo 06 anos de experiência junto à empresa, tendo atuado em diversos projetos, estudos e licenciamentos ambientais com enfoque em telecomunicações e empreendimentos de pequeno e médio porte. Em novembro de 2009 me desvinculei da empresa em busca de novos valores e desafios profissionais.

Procuro uma empresa que valorize seu empregado individualmente, que proporcione condições para um crescimento profissional sólido, que realmente esteja preocupada não apenas em dar lucro e fazer seus produtos/serviços para agradar clientes, mas em prestar seus serviços de forma ética, responsável, com qualidade, respeitando o planeta e todos os seres vivos que estão a sua volta. Assuntos relacionados à sustentabilidade e ao meio ambiente são os que mais me interessam.

Quando digo que venho por um motivo diferente é porque como diz o título estou procurando algo novo profissionalmente e achei conveniente disponibilizar meu currículo aqui no blog.

Qualquer coisa entre em contato. Obrigado Pessoal!

Abaixo segue meu Currículo.

Cantidio Biscalchim Netto – CV

Anúncios

Enchentes

25 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

Pegando uma onda no assunto do momento, resolvi postar este artigo mais como uma introdução a algumas fotos antigas que recebi por e-mail. São fotos da cidade de Piracicaba da década de 70 e 80 que retratam grandes enchentes da daquela época.

Mas o que são enchentes?

As enchentes são calamidades naturais ou não que ocorrem quando um leito natural recebe um volume de água superior ao que pode comportar resultando em transbordamentos. Pode ocorrer em lagos, rios, córregos, mares e oceanos devido a chuvas fortes e contínuas.

Em áreas rurais ocorre com menos freqüência, pois o solo e a vegetação se comprometem a fazer a evacuação da água pela sucção da mesma provocando menores prejuízos. Normalmente, ocorre com menos força não atingindo consideráveis alturas que provocariam a perda de alimentos armazenados, de máquinas e outros objetos. Já nas áreas urbanas, ocorre com maior freqüência e força trazendo grandes prejuízos. Acontece pela interferência humana deixando assim de ser uma calamidade natural. A interferência humana ocorre em vários estágios começando pela fundação de cidades em limites de rios, pelas alterações realizadas em bacias hidrográficas, pelas construções mal projetadas de diques, bueiros e outros responsáveis pela evacuação das águas e ainda pelo depósito errôneo de lixo em vias públicas que com a força das águas são arrastados causando o entupimento dos locais de saída de água.

Além das atividades já citadas que colaboram com as formações de enchentes também devemos nos lembrar que as áreas urbanas são mais propícias à enchentes porque o solo dessas regiões são impedidos pelos asfaltos de absorver a água e também pela falta de vegetação ou pouca vegetação que contribui com a sucção da água. (Fonte: Gabriela Cabral – Equipe Brasil Escola).

Abaixo como prometido segue algumas fotos com resolução um pouco melhor de algumas enchentes da cidade de Piracicaba. Ia colocar fotos atuais também, mas as antigas além de raras são mais “charmosas”. E ao final tem um texto retirado no site http://mundoestranho.abril.com.br com algumas ações que podem diminuir os efeitos das enchentes em centros urbanos.

Foto da cidade de Piracicaba, enchente de 1970.

Foto da cidade de Piracicaba, enchente de 1970.

Foto da cidade de Piracicaba, enchente de 1970.

Foto da cidade de Piracicaba, enchente de 1980.

Algumas mudanças estruturais podem livrar uma cidade de enchentes

PINTOU SUJEIRA

Não precisa nem falar que jogar lixo nos rios polui a água e acaba com qualquer tipo de vida que exista por ali. Mas o mau costume causa ainda o assoreamento dos rios, ou seja, o lixo se acumula nas bordas e no fundo dos rios, deixando-os mais rasos e estreitos. Assim, transbordam facilmente

TRÁFEGO PROIBIDO

Usar avenidas vizinhas a rios como vias de grande circulação é uma péssima idéia. Quando chove muito e o nível do rio sobe, essas áreas são as primeiras a sofrer e comprometem o trânsito da cidade inteira

RESPIRACHÃO

Áreas cobertas com asfalto e cimento ficam totalmente impermeáveis. Além de impossibilitar a absorção da água da chuva, o solo impermeabilizado faz a água correr mais rápido e tomar conta da cidade rapidamente

ABRINDO UMA BRECHA

O uso de pavimentos mais permeáveis à água é uma alternativa ao asfalto. Blocos intertravados – como os usados em calçadões e em ruas de cidades menores – assentados sobre areia permitem que a água penetre no solo e escoe sob o piso das ruas e avenidas

AVENIDA VEGETAL

Nas margens dos rios, o ideal seria ter faixas cobertas por vegetação. Em casos de transbordamento, a água seria absorvida pelo solo livre de calçamento. As vias de tráfego intenso ficariam o mais longe possível das áreas facilmente alagáveis

VERDE QUE TE QUERO VERDE

Quanto mais espaço coberto por vegetação, melhor. Solo não pavimentado absorve até 90% da água da chuva. As cidades deveriam ter 12 m² de área verde por habitante – São Paulo tem uma média de apenas 4m².

PISCININHAS

Algumas cidades já têm piscinões para receber a água das chuvas, mas outra solução possível é a construção de minipiscinões em casas e edifícios. Além de evitar inundações, os reservatórios permitiriam usar a água da chuva em serviços domésticos. (Fonte: Marina Motomura).

Bom pessoal é isso, espero que tenham gostado das fotos. Um Abraço!

Cantidio Biscalchim Netto

REFERÊNCIAS

Site: www.agroredenoticias.com.br (Fonte: Gabriela Cabral – Equipe Brasil Escola)

Site: www.mundoestranho.abril.com.br (Fonte: Marina Motomura)

As fotos são do site www.aprovincia.com (descobri mais tarde)

O Clima em Debate – PARTE II

18 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

Continuando com a série sobre o Clima, mais precisamente sobre os efeitos do Aquecimento Global para a vida na terra, abaixo segue o documentário “Home – O Mundo é a Nossa Casa”. Este documentário foi lançado em 2009, produzido pelo jornalista, fotógrafo e ambientalista francês Yann Arthus-Bertrand. O filme é inteiramente composto por belíssimas imagens aéreas de vários lugares da Terra. Mostra-nos a diversidade da vida no planeta e como a humanidade está ameaçando o equilíbrio ecológico. Possui 1 hora e 33 minutos e apesar de estar em espanhol ele é perfeitamente compreensível. Vale a pena!!

Um documentário que nos encoraja a proteger o nosso mundo!

No documentário “Home”, Yann Arthus-Bertrand leva-nos numa viagem original à volta da Terra, para que possamos contemplá-la e entendê-la.

“Home” vai ajudar-nos a perceber a nossa relação com o nosso planeta. Serão revelados, em simultâneo, as preciosidades que ela nos oferece e as marcas que deixamos para trás, com um único objectivo: encorajar-nos a proteger o nosso Mundo!

Para ver o filme clique na imagem abaixo.

DICA:

No próprio Youtube existe uma versão do filme em português (de Portugal), porém ela esta quebrada em diversas partes. Outra opção é acessar a versão em inglês e ativar as legendas traduzidas para o português no próprio Youtube.

Bom Filme!!

Um abraço.

Cantídio Biscalchim Netto

No próprio Youtube existe uma versão do filme em português (de Portugal), porém ela esta quebrada em diversas partes. Outra opção é acessar a versão em inglês e ativar as legendas traduzidas para o português.

Bom Filme!!

Um abraço.

Cantídio Biscalchim Netto

O Clima em Debate

17 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

As discussões sobre o clima nunca foram tão intensas e amplamente divulgadas pela mídia mundial quanto nos dias de hoje. Quem nunca ouviu falar no aumento da temperatura, efeito estufa e nos desastres naturais? Este último, diga-se de passagem, é figurinha carimbada em todos os telejornais, mídia impressa e digital, por serem cada vez mais catastróficas.

Seria o homem responsável por tudo isso?

Temos realmente o poder de mudar ou controlar o clima em escala global?

São questionamentos difíceis de serem respondidos. Sabemos que desastres naturais sempre aconteceram e vão continuar acontecendo. São processos naturais, forças descomunais da natureza que infelizmente ou felizmente não controlamos.

O fato é que os desastres naturais se tornam potencialmente mais fatais à medida que a população mundial cresce. O crescimento populacional desordenado em áreas de risco como, por exemplo, em várzeas de rios e regiões próximas a encostas e grandes declives, trazem prejuízos não só econômicos, mas também levam muitas vidas. Um exemplo disso é o que aconteceu em Angra dos Reis, em São Luiz do Paraitinga e em São Paulo que vem sofrendo com as enchentes quase que toda a semana.

Precisamos é de mais responsabilidade quando, por exemplo, aprovamos um loteamento, regularizamos residências ou bairros inteiros em áreas de risco. O respeito às leis ambientais em vigor é muito importante não só para garantir a conservação e/ou a manutenção dos recursos naturais para as futuras gerações, mas também para assegurar a integridade física da população e proporcionar na medida do possível uma qualidade socioambiental digna.

Sou da opinião de que temos que “pensar globalmente e agir localmente”, precisamos de mudanças, mas nada precisa de mais mudanças como os nossos hábitos. Enquanto os interesses econômicos continuarem se sobressaindo aos interesses socioambientais as coisas dificilmente vão melhorar.

Voltando para a questão do Clima e do Aquecimento Global, a comunidade científica hoje discute duas vertentes sobre as causas das mudanças climáticas no planeta, uma delas, é a de que o aquecimento global é decorrente da intensificação do efeito-estufa causada pelas atividades humanas e que a redução das emissões de Gás Carbônico (CO2) na atmosfera é fundamental para frear o processo. Aliás, esse foi o tema da COP-15 (Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas) realizada em dezembro do ano passado.

A outra linha de pesquisa é que esses são fenômenos naturais, que sempre aconteceram e que vão continuar acontecendo. Quem controla o aquecimento e o resfriamento da terra são os oceanos e o sol. O homem pouco ou nada contribui para aquecimento global. A variabilidade do clima é um fenômeno natural e as atividades humanas não influenciam no clima em escala global.

O clima foi tema do programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes de Televisão, do dia 11/01/2010, que contou com a presença Dr. Luiz Carlos Baldicero Molion, um dos mais renomados especialistas do assunto no Brasil. Ele defende a tese de que o Aquecimento Global nada mais é do que um fenômeno natural.

Abaixo segue o programa na integra, confiram:

PARTE 1/7

PARTE 2/7

PARTE 3/7

PARTE 4/7

PARTE 5/7

PARTE 6/7

PARTE 7/7

REFLITA:

Como é possível conceituados pesquisadores concluírem de formas tão diferentes seus estudos sobre um mesmo assunto?

Um grande abraço,

Cantídio Biscalchim Netto

Utilidade Pública – Contatos Poder Executivo

14 de janeiro de 2010 9 comentários

Esta disponível na web, desde o inicio do segundo semestre de 2009, o novo site da Prefeitura Municipal de Águas de São Pedro, você pode acessá-lo através do endereço: www.aguasdesaopedro.sp.gov.br.

Apesar do novo layout, que por sinal é de muito bom gosto, o site fica devendo quando precisamos de informações mais específicas como, por exemplo, consultar a legislação, contatos diretos com as secretarias municipais, etc.

Pensando nisso, em novembro de 2009, entrei em contato através do mural de recados do site (Fale Conosco), sugerindo a inclusão de uma página com a relação de todas as secretarias, secretários e os telefones/e-mails para contato. O objetivo era que fosse criado um canal direto entre a população e os diversos departamentos da Prefeitura, possibilitando ao munícipe sugerir, criticar ou até mesmo informar sobre eventuais problemas diretamente à secretaria competente.

Na oportunidade, me responderam que esta página estava sendo desenvolvida. Ótimo!!

Como até a presente data, dia 15 de janeiro de 2010, esta pagina com os contatos não ficou pronta, tomei a iniciativa tentar consegui-los diretamente na Prefeitura Municipal e disponibilizá-los aos leitores deste humilde blog.

Abaixo segue a relação de todo o secretariado e seus contatos. Bom Proveito!!

Prefeitura Municipal da Estância Hidromineral de Águas de São Pedro

Prefeito Municipal

Paulo Cesar Borges

Praça Prefeito Geraldo Azevedo, n° 115 – Centro

Águas de São Pedro – SP CEP: 13525-000

Fone/Fax: 19 3482-7100 – 3482-3151

Email: prefeito@aguasdesaopedro.sp.gov.br

gabinete@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Vice-Prefeito / Secretário de Finanças

Silvio Cesar Corrente

Tel: (19) 3482-7109

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: viceprefeito@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Chefe de Gabinete

Aparecido Donizete Carrara

Tel: (19) 3482-7105

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: gp@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Meio Ambiente e Segurança Pública

Raimundo Lázaro Profício

Tel: (19) 3482-1586

R: Antonio Feijó nº 95

e-mail: semasp@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Turismo

Artur Silva Neto

Tel: (19) 3482-1652

R: Aparecido Barbosa, 210

e-mail: turismo@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretária de Educação

Dalva Aparecida da Silva

Tel: (19) 3482-2919 | 3482-1706

R: Santina Martello Matarazzo, 15

e-mail: educacao@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Obras, Transporte e Serviços Urbanos

Fabio Roberto Esteves

Tel: (19) 3482-1270

R: Dos Curiós s/ nº

e-mail: obras@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Saúde

Marco Antonio Casarini

Tel: (19) 3482-1131

R: Antonio Feijó, 135

e-mail: saude@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Finanças

Silvio Cesar Corrente (vice-prefeito)

Tel: (19) 3482-7109

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: financas@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Administração

Oswaldo Faustino de Almeida

Tel: (19) 3482-7109

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: adm@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretaria de Promoção Social e Termal

Sandra Regina Marques Dias da Silva

Tel: (19) 3482-2650

R: Antonio Aparecido Barbosa, 210 – Jd. Jerubiaçaba

e-mail: promocao.social@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Procuradora Geral

Nivea R. Sant’ana C. Zampieri

Tel: (19) 3482-7106

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: procuradoria@aguasdesaopedro.sp.gov.br

(as informações foram obtidas diretamente na Prefeitura Municipal de Águas de São Pedro, alguns dos contatos podem sofrer alterações com o passar do tempo, ok!)

Um grande abraço a todos!

Cantidio Biscalchim Netto

Prefeitura Municipal da Estância Hidromineral de Águas de São Pedro

Prefeito Municipal: Paulo Cesar Borges

Praça Prefeito Geraldo Azevedo, n° 115 – Centro

Águas de São Pedro – SP CEP: 13525-000

Fone/Fax: 19 3482-7100 – 3482-7108

Email: prefeito@aguasdesaopedro.sp.gov.br

gabinete@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Vice-Prefeito

Silvio Cesar Corrente

Tel: (19) 3482-7100

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: viceprefeito@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Chefe de Gabinete

Aparecido Donizete Carrara

Tel: (19) 3482-71-00

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: gp@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Meio Ambiente e Segurança Pública

Adilson de Toledo Souza

Tel: (19) 3482-1586

R: Antonio Feijó nº 95

e-mail: semasp@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Turismo

Artur Silva Neto

Tel: (19) 3482-1652

R: Aparecido Barbosa, 210

e-mail: turismo@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretária de Educação

Dalva Aparecida da Silva

Tel: (19) 3482-2919

R: Santina Martello Matarazzo, 15

e-mail: educacao@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Obras, Transporte e Serviços Urbanos

Fabio Roberto Esteves

Tel: (19) 3482-1270

R: Dos Curiós s/ nº

e-mail: obras@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Saúde

Marco Antonio Casarini

Tel: (19) 3482-1131

R: Antonio Feijó, 135

e-mail: saude@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Finanças

Oswaldo Faustino de Almeida

Tel: (19) 3482-7100

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: financas@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Secretário de Administração

Vanderlei Valdir Zampieri

Tel: (19) 3482-7100

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: adm@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Presidente do Fundo Social de Solidariedade

Sandra Regina Marques Dias da Silva

Tel: (19) 3482-2650

R: Antonio Feijó, s/n

e-mail: promocao.social@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Procuradora Geral

Nivea R. Sant’ana C. Zampieri

Tel: (19) 3482-7106

R: Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115

e-mail: procuradoria@aguasdesaopedro.sp.gov.br

Gestão das Áreas Verdes

13 de janeiro de 2010 Deixe um comentário

Paisagismo ao longo da Avenida Carlos Mauro, Águas de São Pedro.

Uma das principais características do Município de Águas de São Pedro é a grande quantidade de áreas verdes existentes. Embora a quantificação dessas áreas seja um instrumento útil para se avaliar a qualidade ambiental de uma cidade, não é suficiente quando não se considera sua distribuição pelos espaços urbanos, o estágio de conservação, o tipo de uso e a sua interação com as áreas de influência (entorno).

Além de quantificá-las, é imprescindível que se realize um trabalho de qualificação, incorporando conceitos socioambientais ao processo para que seja elaborado um plano eficiente de Gerenciamento das Áreas Verdes.

Renovar o paisagismo, eliminar espécies daninhas e realizar a poda correta das plantas, são algumas das ações que devem se tornar permanentes dentro de um Plano de Gerenciamento de Áreas Verdes, para assegurar não só a beleza cênica, mas garantir o conforto ambiental de sua área de influência.

Em Águas de São Pedro um projeto bem legal esta sendo desenvolvido ao longo da Av. Carlos Mauro com a renovação de todo paisagismo, a colocação placas educativas e caixas de areia para que os fumantes que servirão de cinzeiros para o descarte de cigarros de forma educada e segura.

O projeto é uma parceria da Secretaria de Educação e Cultura – Direção, Coordenação, Professores e alunos da EMEF” Maria Luiza Fornasier Franzin”- do 6º ao 9º ano-Secretaria de Obras , Paisagista Maria de L.A.Godoy e Família de Maria J. Saldanha. Parabéns pelo trabalho!

Áreas Verdes ao longo do canal central do Município de Águas de São Pedro.

Manutenção e Renovação do Paisagismo ao longo da Av. Carlos Mauro em Águas de São Pedro.

Cinzeiros disponobilizados em alguns pontos da Av. Carlos Mauro.

Mas a manutenção das áreas verdes não é uma tarefa fácil e barata, demanda mão de obra especializada e insumos para garantir o desenvolvimento saudável e eficiente das plantas.

Mas o que o Governo Municipal pode fazer para assegurar a manutenção constante das áreas verdes e ainda expandir todo este cuidado com o paisagismo da região central para os bairros mais afastados da cidade? Como a gestão ambiental pode contribuir para o processo?

DEIXE APODRECER!

Isso mesmo, literalmente deixe apodrecer!

Águas de São Pedro possui cerca de 145m² de área verde por habitante, para se ter uma idéia, a ONU recomenda que as cidades tenham 16m² de área verde, isso significa que o município oferece quase que 10 vezes mais do que o recomendado. Sem entrar em questões técnicas de como este calculo é feito, o fato é que o Município possui muitas áreas verdes e estas devem ser preservadas, recuperadas, requalificadas ou revitalizadas de acordo com o seu tipo de uso.

Executar a manutenção periódica de todas as áreas verdes é uma atividade muito onerosa, mas imprescindível para garantir a qualidade/conforto ambiental do município e ainda atrair turistas pela sua beleza cênica.

Uma alternativa para diminuir os gastos com insumos (adubo orgânico) e ainda diminuir a quantidade de lixo disposto em aterro sanitário, seria a implantação de uma Mini-Central de Compostagem.

Mas o que é a Compostagem?

Compostagem é um processo biológico de transformação da matéria orgânica, por ação de microrganismos, num composto fertilizante natural, semelhante ao solo. A matéria orgânica são restos de comida e resíduos verdes do jardim, horta ou quintal e podas das árvores. Se realizada de forma correta, a compostagem não produz cheiro e não atrai insetos.

Abaixo um vídeo sobre a utilização da Compostagem na agricultura orgânica:

Programa de Compostagem do Município de Bituruna – PR:

Com essa mini-central de compostagem o município poderia produzir seu próprio composto orgânico. O composto produzido poderia ser utilizado em hortas comunitárias, creches, escolas, nos parques e jardins da cidade e em campanhas de educação ambiental.

E a obtenção da matéria prima (lixo orgânico)?

Um programa de coleta seletiva é fundamental para o sucesso desta proposta, mas é muito difícil hoje, com a estrutura que a Prefeitura dispõe, implantar um programa eficaz de Coleta Seletiva, pois, além de alterar totalmente a maneira de como é feita a coleta de lixo no município, é necessário um programa amplo e eficiente de Educação Ambiental para envolver a comunidade.

Uma alternativa para se ganhar tempo seria a implantação de um Projeto de Coleta Seletiva parcial que abrangeria apenas as cozinhas, refeitórios e colégios públicos. O objetivo é separar o material orgânico (alimentos em geral) do material reciclável (plásticos, latas e papelão), e incorporar folhas e pequenos galhos vindos das podas das árvores e limpeza das praças ao composto orgânico. Mais tarde o projeto se estenderia aos hotéis e restaurantes que descartam uma quantidade enorme de alimento em suas cozinhas.

Com um corpo técnico competente e empenhado esta proposta seria possível em Águas de São Pedro. Além de contribuir para o meio ambiente, o município economizaria com a destinação do lixo em aterro sanitário (que é cobrado por tonelada/dia) e garantiria composto orgânico para a manutenção das praças e áreas verdes.

Abaixo segue o link uma reportagem sobre os melhores programas ambientais premiados pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo em 2009, através do Programa Município Verde Azul. Corumbataí recebeu o Prêmio de Melhor Coleta Seletiva do Estado de São Paulo, um exemplo que Águas de São Pedro poderia seguir. A administração pública poderia enviar técnicos ao município para conhecer melhor o programa.

Veja o vídeo Aqui!!

Viveiro de Mudas

Como um anexo ao projeto de coleta seletiva poderia ser construído um viveiro de mudas com espécies nativas e ornamentais. Seria utilizado o composto orgânico, produzido pela Central de Compostagem, para o desenvolvimento destas mudas que mais tarde seriam utilizadas no paisagismo e na recuperação das áreas verdes.

Água

Atualmente a irrigação das praças e jardins, pelo menos na parte central da cidade, é feita utilizando água da rede pública de abastecimento, ou seja, água tratada pela SABESP que é obrigada a garantir a sua potabilidade. Ambiental e economicamente falando, esta não é uma prática sustentável. Os custos do tratamento da água para abastecimento público é alto e utilizar água potável para manutenção dos parques, praças e jardins não é coerente.

A alternativa para esta questão seria a utilização da água da chuva armazenada em reservatórios. Para termos uma idéia, somente o telhado do prédio, onde se encontra paço municipal, possui uma área de aproximadamente 3.500m².

Para ilustrar o que isso significa em economia de água vamos fazer uma conta simples:

Multiplicaremos a área total do telhado (3.000m²) pela pluviosidade média anual da região de Águas de São Pedro (500mm/ano), o resultado desta equação vai ser a quantidade em Litros de água da chuva armazenada durante o ano (claro que esses valores são teóricos, para o calculo exato seriam necessários estudos específicos).

3.000m² x 500mm/ano = 1.500.000 litros/ano

O município faria a economia de 1,5 milhões litros de água por ano. Esta água além de ser utilizada para manutenção das praças e jardins pode servir para lavagem das viaturas, pátios e galpões públicos.

Abaixo um vídeo demonstrando o funcionamento de um sistema de captação das águas das chuvas:

Bom pessoal, já me estendi muito neste artigo. A gestão ambiental urbana é um assunto muito extenso e com um leque enorme de possibilidades e idéias que podem, além de trazer benefícios ao Meio Ambiente, ajudar a economizar recursos naturais e financeiros. Apresentei a síntese de algumas destas possibilidades que diversos municípios já vêm adotando.

Muito mais do que a forma de se administrar, a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental eficiente exige a mudança de mentalidade dos governantes e de uma equipe de governo competente. É de suma importância a sensibilização e a adesão da população aos programas municipais. Só assim veremos mudanças realmente importantes nos municípios, elas não acontecem da noite para o dia, mas garantem a qualidade e o conforto ambiental para o futuro.

Para saber mais sobre reciclagem de lixo e coleta seletiva? Veja abaixo

Abraço a todos

Cantidio Biscalchim Netto

Mas a manutenção das áreas verdes não é uma tarefa fácil e barata, demanda mão de obra especializada e insumos para garantir o desenvolvimento saudável das plantas.

Mas o que o Governo Municipal pode fazer para assegurar a manutenção constante das áreas verdes e ainda expandir todo este cuidado com o paisagismo da região central para os bairros mais afastados da cidade? Como a gestão ambiental pode contribuir para o processo?