Início > Águas de São Pedro, Gestão das Áreas Verdes > Gestão das Áreas Verdes

Gestão das Áreas Verdes

13 de janeiro de 2010 Deixe um comentário Go to comments

Paisagismo ao longo da Avenida Carlos Mauro, Águas de São Pedro.

Uma das principais características do Município de Águas de São Pedro é a grande quantidade de áreas verdes existentes. Embora a quantificação dessas áreas seja um instrumento útil para se avaliar a qualidade ambiental de uma cidade, não é suficiente quando não se considera sua distribuição pelos espaços urbanos, o estágio de conservação, o tipo de uso e a sua interação com as áreas de influência (entorno).

Além de quantificá-las, é imprescindível que se realize um trabalho de qualificação, incorporando conceitos socioambientais ao processo para que seja elaborado um plano eficiente de Gerenciamento das Áreas Verdes.

Renovar o paisagismo, eliminar espécies daninhas e realizar a poda correta das plantas, são algumas das ações que devem se tornar permanentes dentro de um Plano de Gerenciamento de Áreas Verdes, para assegurar não só a beleza cênica, mas garantir o conforto ambiental de sua área de influência.

Em Águas de São Pedro um projeto bem legal esta sendo desenvolvido ao longo da Av. Carlos Mauro com a renovação de todo paisagismo, a colocação placas educativas e caixas de areia para que os fumantes que servirão de cinzeiros para o descarte de cigarros de forma educada e segura.

O projeto é uma parceria da Secretaria de Educação e Cultura – Direção, Coordenação, Professores e alunos da EMEF” Maria Luiza Fornasier Franzin”- do 6º ao 9º ano-Secretaria de Obras , Paisagista Maria de L.A.Godoy e Família de Maria J. Saldanha. Parabéns pelo trabalho!

Áreas Verdes ao longo do canal central do Município de Águas de São Pedro.

Manutenção e Renovação do Paisagismo ao longo da Av. Carlos Mauro em Águas de São Pedro.

Cinzeiros disponobilizados em alguns pontos da Av. Carlos Mauro.

Mas a manutenção das áreas verdes não é uma tarefa fácil e barata, demanda mão de obra especializada e insumos para garantir o desenvolvimento saudável e eficiente das plantas.

Mas o que o Governo Municipal pode fazer para assegurar a manutenção constante das áreas verdes e ainda expandir todo este cuidado com o paisagismo da região central para os bairros mais afastados da cidade? Como a gestão ambiental pode contribuir para o processo?

DEIXE APODRECER!

Isso mesmo, literalmente deixe apodrecer!

Águas de São Pedro possui cerca de 145m² de área verde por habitante, para se ter uma idéia, a ONU recomenda que as cidades tenham 16m² de área verde, isso significa que o município oferece quase que 10 vezes mais do que o recomendado. Sem entrar em questões técnicas de como este calculo é feito, o fato é que o Município possui muitas áreas verdes e estas devem ser preservadas, recuperadas, requalificadas ou revitalizadas de acordo com o seu tipo de uso.

Executar a manutenção periódica de todas as áreas verdes é uma atividade muito onerosa, mas imprescindível para garantir a qualidade/conforto ambiental do município e ainda atrair turistas pela sua beleza cênica.

Uma alternativa para diminuir os gastos com insumos (adubo orgânico) e ainda diminuir a quantidade de lixo disposto em aterro sanitário, seria a implantação de uma Mini-Central de Compostagem.

Mas o que é a Compostagem?

Compostagem é um processo biológico de transformação da matéria orgânica, por ação de microrganismos, num composto fertilizante natural, semelhante ao solo. A matéria orgânica são restos de comida e resíduos verdes do jardim, horta ou quintal e podas das árvores. Se realizada de forma correta, a compostagem não produz cheiro e não atrai insetos.

Abaixo um vídeo sobre a utilização da Compostagem na agricultura orgânica:

Programa de Compostagem do Município de Bituruna – PR:

Com essa mini-central de compostagem o município poderia produzir seu próprio composto orgânico. O composto produzido poderia ser utilizado em hortas comunitárias, creches, escolas, nos parques e jardins da cidade e em campanhas de educação ambiental.

E a obtenção da matéria prima (lixo orgânico)?

Um programa de coleta seletiva é fundamental para o sucesso desta proposta, mas é muito difícil hoje, com a estrutura que a Prefeitura dispõe, implantar um programa eficaz de Coleta Seletiva, pois, além de alterar totalmente a maneira de como é feita a coleta de lixo no município, é necessário um programa amplo e eficiente de Educação Ambiental para envolver a comunidade.

Uma alternativa para se ganhar tempo seria a implantação de um Projeto de Coleta Seletiva parcial que abrangeria apenas as cozinhas, refeitórios e colégios públicos. O objetivo é separar o material orgânico (alimentos em geral) do material reciclável (plásticos, latas e papelão), e incorporar folhas e pequenos galhos vindos das podas das árvores e limpeza das praças ao composto orgânico. Mais tarde o projeto se estenderia aos hotéis e restaurantes que descartam uma quantidade enorme de alimento em suas cozinhas.

Com um corpo técnico competente e empenhado esta proposta seria possível em Águas de São Pedro. Além de contribuir para o meio ambiente, o município economizaria com a destinação do lixo em aterro sanitário (que é cobrado por tonelada/dia) e garantiria composto orgânico para a manutenção das praças e áreas verdes.

Abaixo segue o link uma reportagem sobre os melhores programas ambientais premiados pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo em 2009, através do Programa Município Verde Azul. Corumbataí recebeu o Prêmio de Melhor Coleta Seletiva do Estado de São Paulo, um exemplo que Águas de São Pedro poderia seguir. A administração pública poderia enviar técnicos ao município para conhecer melhor o programa.

Veja o vídeo Aqui!!

Viveiro de Mudas

Como um anexo ao projeto de coleta seletiva poderia ser construído um viveiro de mudas com espécies nativas e ornamentais. Seria utilizado o composto orgânico, produzido pela Central de Compostagem, para o desenvolvimento destas mudas que mais tarde seriam utilizadas no paisagismo e na recuperação das áreas verdes.

Água

Atualmente a irrigação das praças e jardins, pelo menos na parte central da cidade, é feita utilizando água da rede pública de abastecimento, ou seja, água tratada pela SABESP que é obrigada a garantir a sua potabilidade. Ambiental e economicamente falando, esta não é uma prática sustentável. Os custos do tratamento da água para abastecimento público é alto e utilizar água potável para manutenção dos parques, praças e jardins não é coerente.

A alternativa para esta questão seria a utilização da água da chuva armazenada em reservatórios. Para termos uma idéia, somente o telhado do prédio, onde se encontra paço municipal, possui uma área de aproximadamente 3.500m².

Para ilustrar o que isso significa em economia de água vamos fazer uma conta simples:

Multiplicaremos a área total do telhado (3.000m²) pela pluviosidade média anual da região de Águas de São Pedro (500mm/ano), o resultado desta equação vai ser a quantidade em Litros de água da chuva armazenada durante o ano (claro que esses valores são teóricos, para o calculo exato seriam necessários estudos específicos).

3.000m² x 500mm/ano = 1.500.000 litros/ano

O município faria a economia de 1,5 milhões litros de água por ano. Esta água além de ser utilizada para manutenção das praças e jardins pode servir para lavagem das viaturas, pátios e galpões públicos.

Abaixo um vídeo demonstrando o funcionamento de um sistema de captação das águas das chuvas:

Bom pessoal, já me estendi muito neste artigo. A gestão ambiental urbana é um assunto muito extenso e com um leque enorme de possibilidades e idéias que podem, além de trazer benefícios ao Meio Ambiente, ajudar a economizar recursos naturais e financeiros. Apresentei a síntese de algumas destas possibilidades que diversos municípios já vêm adotando.

Muito mais do que a forma de se administrar, a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental eficiente exige a mudança de mentalidade dos governantes e de uma equipe de governo competente. É de suma importância a sensibilização e a adesão da população aos programas municipais. Só assim veremos mudanças realmente importantes nos municípios, elas não acontecem da noite para o dia, mas garantem a qualidade e o conforto ambiental para o futuro.

Para saber mais sobre reciclagem de lixo e coleta seletiva? Veja abaixo

Abraço a todos

Cantidio Biscalchim Netto

Mas a manutenção das áreas verdes não é uma tarefa fácil e barata, demanda mão de obra especializada e insumos para garantir o desenvolvimento saudável das plantas.

Mas o que o Governo Municipal pode fazer para assegurar a manutenção constante das áreas verdes e ainda expandir todo este cuidado com o paisagismo da região central para os bairros mais afastados da cidade? Como a gestão ambiental pode contribuir para o processo?

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: